Um Mundo Melhor – Tom Campbell

Posso ajudar a construir um mundo melhor?

Como viver uma vida correta e um mundo de moralidade tão confusa?

Uma série de perguntas respondidas por Tom Campbell e totalmente relacionadas com a compreensão do que é “seu nível de ser”.

Como pode um consumidor não contribuir para o trabalho escravo? Como você vive eticamente quando muitos bens que você compra podem ser produzidos usando trabalho escravo? Como se pode viver uma vida ética quando se apóia e incentiva crimes de abuso todos os dias alimentando um processo imoral e antiético de fabricação com as compras que faz?

Resposta:

É difícil ser seletivo em nossas compras porque temos pouca percepção de como os produtos são produzidos e como qualquer processo de produção em particular, afeta a entropia do Sistema Mais Amplo de Consciência no longo prazo.

Você não pode se responsável por aquilo que não conhece – a menos que sua ignorância seja proposital, isto é, se você sai do seu caminho para evitar saber das coisas. O momento em que você descobre sobre um processo antiético do qual é um contribuinte, é o momento em que você ganha a responsabilidade de parar (ou minimizar se parar é contra a lei ou faz mais mal do que bem) de contribuir, encorajar ou possibilitar, o comportamento antiético.

É claro, se deve estar sempre aberto e procurando novos dados. No entanto, esteja ciente de que há pessoas distorcendo “a verdade” de todos os lados de qualquer questão. O mundo funciona com crença, imagem e propaganda, não com a verdade. Infelizmente, a verdade é apenas um participante menor na decisão. É muito difícil obter informações honestas e diretas, e ainda mais difícil, avaliar se é assim mesmo.

Assim, é muito difícil avaliar a existência e a extensão do comportamento antiético, a menos que você seja uma testemunha em primeira mão de todas as questões e circunstâncias, todos os atos e todas as intenções por trás dos atos. Ouvimos fatos sobre atos e, em seguida, muitas vezes preenchemos com a intenção de nossos próprios medos, expectativas e crenças.

É a intenção, não o ato, o que mais importa. Por exemplo: Uma criança de 10 anos trabalhando em uma fábrica nos EUA é ilegal e antiético. Já uma criança de 10 anos em um país sem sistema de educação pública, sem serviços sociais e sem leis de trabalho infantil, e que está trabalhando em uma fábrica, por sua própria livre escolha (talvez fazendo transito dos papéis entre as pessoas dos escritórios e entregando correspondências à equipe administrativa) para impedir que sua mãe e cinco irmãos mais novos morram de fome, é outra coisa.

Neste caso, forçar essa criança em particular (que está feliz e com muita sorte de ter a oportunidade de fazer este trabalho e salvar sua família) a parar de trabalhar porque tem apenas 10 anos seria a escolha imoral.

Se o gerente de uma fábrica estava sofrendo pressão para demitir a criança por causa da má impressão (criada por concorrentes ou pelos cães de guarda que precisam de problemas para justificar seus empregos, ou por pessoas que querem pregar o bem, mas não entendem o quadro maior), neste caso ele é eticamente solicitado a resistir a essa pressão e manter o emprego da criança.

Se o país estivesse sob pressão para considerar a imposição de leis de trabalho infantil, deveriam descobrir o ponto de equilíbrio de quanto bem e quanto mal será feito por causa da lei, e agir apenas de maneiras que beneficiem a vasta maioria de seus cidadãos agora e no futuro – e encontrar maneiras de proteger aqueles que prejudica.

Além disso, você pode parar de comprar produtos de A e começar a comprar os produtos de B, quando, na verdade, B é uma empresa muito mais antiética, mas você simplesmente ignora o comportamento imoral deles. B pode até ter financiado a propaganda negativa sobre A.

Então, como sempre, é preciso aprender a viver graciosamente com a incerteza. Ou seja, você deve formar suas intenções e executar suas ações com base no que você acha que é mais provável que seja a verdade. Deve-se sempre errar do lado da cautela (não faça mal) e sempre permanecer aberto e buscando ativamente mais informações que possam modificar sua posição.

Empregar cepticismo de mente aberta é a chave. Você precisa desenvolver fontes confiáveis ​​e se esforçar seriamente para fazer uma pesquisa eficaz. Lembre-se, a confiança deve ser conquistada, não apenas dada a alguém ou a alguma organização, porque sua máquina de relações públicas está fazendo um bom trabalho.

Há dois requisitos básicos para se viver uma vida ética: Seja uma pessoa ética e (1) faça as melhores escolhas éticas possíveis, com base nas melhores informações que você puder reunir no momento (avalie a precisão e a integridade dos dados sem adicionar distorções devido a seu medo, ego e crença).

(2) Aprenda a viver graciosamente com a incerteza (use o ceticismo de mente aberta para avaliar a verdade em termos de probabilidades provisórias – evite adicionar distorções geradas por seu medo, ego e crenças). Aceite que você cometerá erros e será imperfeito – tudo bem, porque você corrigirá o erro assim que descobrir o erro e estiver continuamente trabalhando nisso.

Não é sua responsabilidade consertar o mundo, sua responsabilidade é consertar a si mesmo, e se você está trabalhando ativamente nisso de forma tão eficaz e eficiente quanto possa, já está fazendo sua parte. Além disso, deixe as coisas tomarem contas de si mesmas – oportunidades de aprendizado e desafios são fornecidos para todos.

Tentando fazer um mundo melhor

Não deveríamos estar trabalhando para o bem de todos – saindo para o mundo e tentando fazer do mundo um lugar melhor?

Resposta:

Alguns podem pensar que é egocêntrico trabalhar principalmente em si mesmo como sugeri acima.

Por “trabalhar em si mesmo”, não me refiro a uma vida inteira de meditação contemplando seu umbigo. Neste ambiente-escola, a ação que mais importa é interagir com os outros.

Sim, é claro, devemos nos preocupar em ajudar os outros, mas se nossa intenção (motivação) não estiver correta, nossa ajuda será ineficaz e talvez até destrutiva.

Ajudar os outros é um traço primário da consciência de baixa entropia (amorosa). Se você melhorar primeiro a si próprio (abaixar sua entropia), se sentirá automaticamente motivado a ajudar os outros.

A intenção de tornar as coisas melhores para todos flui naturalmente, de um ser com baixa entropia. E esse ser fará seu trabalho pelos outros, sem o medo, ego, expectativas e crenças, que tornariam seu esforço ineficaz ou contraproducente.

Se uma pessoa sai para tentar fazer o bem sem primeiro arrumar a si própria (sem se livrar do medo, ego, expectativas e crenças), então seus esforços serão necessariamente focalizados e implementados, de maneiras que reflitam seu medo, ego, expectativas e crenças.

Fluxo Prático Como Melhorar ao Nível de Ser
Clique na Imagem para baixar o seu material!

Isso fará com que ela seja ineficaz tanto pela Visão Ampla como na visão estreita – ela provavelmente não conseguirá fazer nada de útil para os outros no longo prazo, ou até piorará as coisas.

Não se pode esconder ou suprimir a verdadeira qualidade de seu nível de ser – o que está em seu núcleo, é o que você expressa com suas intenções e interações. Você simplesmente é quem e o que você é – não há como ser melhor do que você é.

Agir melhor, embora às vezes apreciado por aqueles que
interagem superficialmente com você, é apenas um ato que sempre revela a verdade sob uma inspeção mais profunda.

Atuar (representar) é muito diferente de ser.

Pode-se tentar agir de uma maneira boa – fazer as coisas que pensa (trabalhando a partir do nível intelectual) representar bem – mas se seu senso do que é bom é primariamente informado pelo medo, ego, expectativas e crenças, isso é o que domina seu nível de ser e consequentemente também se reflete em seu nível intelectual. Tal pessoa provavelmente realizará pouco bem pelo ângulo da Visão Maior e ainda poderá causar danos.

Seu intelecto expressa a qualidade encontrada no nível de ser, consequentemente, serve principalmente seu medo, ego e crenças e gasta a maior parte de sua energia, convencendo-se de que todos os seus atos são necessários e bons.

No entanto, se uma pessoa é boa (consciência de baixa entropia), então ela simplesmente faz o bem ao agir naturalmente – não tem que pensar em como agir – apenas é…  e se expressa como é. Opera a partir do nível de ser. Seu intelecto serve ao seu ser central e expressa a qualidade encontrada nesse nível.

Sua intenção é sempre focada no serviço aos outros e ao todo e provavelmente realizará muito, tanto em relação ao ambiente da Visão Ampla como ao da pequena visão. Isso não significa que tal pessoa necessariamente será rica e famosa – estou falando de realizações que são significativas para si mesma, para os outros e para o Sistema de Consciência Mais Amplo.

Então você vê, o primeiro passo para consertar qualquer coisa (atitudes dos outros, sistema político, sistema econômico, sistema filosófico, corrigir erros, reforçar o que é justo, tornar o mundo um lugar melhor, etc.) está consertar a si mesmo.

Se você realmente quer trabalhar para o bem de todos – sair para o mundo e tornar o mundo melhor, então comece a trabalhar em si mesmo – produza um ser de baixa entropia que naturalmente expressa e difunde a qualidade do amor e da compaixão ao invés do medo, ego, expectativas e crenças.

O que nos melhora ao nível de ser

“Mas como eu me aprimoro (no nível de ser)?”

Resposta:

Livre-se do medo, da crença e do ego.

Todos os três estão relacionados: Crença e ego são produtos do medo. Eu sei, é fácil de dizer, mas difícil de fazer.

Aqui está como recomendo abordar isso. A maioria das pessoas que trabalha seriamente em sua qualidade de consciência, acha cada vez mais difícil identificar o medo e as crenças, mas o ego é menos sutil e mais óbvio, quando se está procurando por ele.

Comece inspecionando sua intenção ou motivação nas interações cotidianas. Inspecione honestamente cada ação, pensamento, sentimento, vontade, necessidade e desejo – em especial quando interage pessoalmente com outros (cônjuge, família, amigos, colegas de trabalho, estranhos, etc.) – ou a medida que você processa isso (pensa nas coisas, devaneia, pondera).

Descubra a causa real – a causa por trás da causa – de porque você diz, pensa ou faz o que faz. Então pergunte a si mesmo: “Esta causa, intenção ou motivação, é sobre mim mesmo?” (meus desejos, necessidades, expectativas, vontades).

Se é principalmente sobre você (gerenciar as coisas do jeito que quer que elas sejam), então é muito provável que sua intenção / motivação seja baseada no ego. Se for baseada no ego, você pode em geral encontrar um medo ou crença na raiz disso (um medo de que você, as coisas, ou os outros, não estejam sendo ou funcionando da forma que você deseja).

Se você encontrar um medo, é disso que você precisa se livrar.

O único antídoto para o medo é a coragem e o desejo sincero de mudar. Se você encontrar uma crença, siga cavando até um nível mais profundo e encontre o medo que impulsiona a crença.

Elimine o medo, então crença e ego simplesmente desaparecerão porque já não são necessários para lidar com esse medo. Este processo requer foco, dedicação e perseverança para resultar em sucesso.

Se você trabalhar de forma diligente nesse processo, em três ou quatro meses, a diferença em você e em sua qualidade de vida, será bastante perceptível por você e até pelos outros.

Fluxograma ilustrando como podemos nos melhorar ao nível de ser

A explicaçõs acima foram convertidas em um fluxograma de processo para facilitar a compreensão e seguimento dos passos, para aqueles que se interessarem.

Experimente exercitá-lo e praticar nas situações cotidiana, depois de alguns dias avalie os resultados e faça uma reflexão sobre eles.

Seus comentários e compartilhamentos da experiência serão muito bem vindos!

Use o formulário para baixar o seu fluxograma gratuito com uma imagem de boa definição para imprimir, manter como fundo de tela ou no celular de modo a mantê-lo em fácil acesso.

Download do Fluxo:

9 comentários em “Um Mundo Melhor – Tom Campbell”

  1. Gratidão por poder acessar esse conteúdo, tão objetivo e simples de absorver… Mestres da consciência como o tom nos impulsiona muito.. Um abraço Mário.

  2. Eu estou apaixonada por todo esse material que estás mandando e estou lendo.Estou aproveitando muito.Está fazendo um efeito de crescimento,e imediatamente me ajudando no caminho do autoconhecimento.Estou muito agradecida Mario Jorge e te comunico aqui que recebi tudo que me mandastes.Quero adquirir os livros.eles não estão nas livrarias porto alegrenses , então tentei encomendar no site indicado mas não consegui inserir o CEP.Vou telefonar e resolver.Um grande -e cheio de gratidão – abraço.Que Deus te ilumine cada vez mais, por compartilhar esses conhecimentos.

    1. Oi Carmen, muito obrigdo por seu feedback. Isso nos anima a seguir comparilhando mais e mais… Os livros do Tom não estão a venda nas livrarias físicas pois a tradução foi uma iniciativa pessoal minha e de amigos, apoiada pelo Tom. Assim que só no site mesmo. Duas coisas sobre isso: primeiro escolha o livro cliando em comprar, a seguir clique em calcular o frete e preencha o CEP e clique em Atualizar e depois em fechar a compra.. ai prossegue para a pagina do pagamento… pode também olhar as instruçõe detalhadas na ajuda no link da ajuda passo a passo: https://mybigtoe.com.br/como-comprar-passo-passo-ajuda/ Mas se complicar algo e preferir tratar por whatsapp tem o link aqui na pagina para meu whatsapp (11 9 5892 4139). Esperto ter ajudado mas se complicar me contate por whatsapp…

  3. Primeiramente, agradeço a oportunidade de aprender e a compreender o que somos.
    Em segundo lugar acredito que estamos todos ligados de alguma forma, seja pelos átomos que compõem nossos corpos físicos rústicos, ou seja, este veículo que nos serve utilmente a cada fração de segundo que habitamos este plano, encarnado como seres humanos e, sencientes de todos os sentidos, os quais através da ética e moral, aplicamos a nós mesmos, no dia a dia e nos faz sentir melhor na longa jornada que iniciamos neste difícil e longo caminho solitário.
    Enfim, repito, a famosa frase: “Só sei que nada sei”.

    Claudio S.R.

    1. Grato Cláudio por seus comentários. É sempre bom receber feedback, ainda mais quando é tão positivo. E vc esta certo. Se aprofundar mais nas idéias do Tom vai ver que elas suportam suas noções de estarmos todos conectados. Tudo é suportado por uma vasta rede de consciência que é digital e dá suporte a todas as percepções que temos.. inclusive a da materialidade. E sim, ter ciência de que nada sabemos é um ótimo começo, onde quer que estejamos… o conhecimento trás humildade pois descobrimos que qq coisa que saibamos será sempre uma fração muito menor de tudo o que há para saber… Forte abc… Mario Jorge

Deixe seu Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.