Reencarnação Pelo Ponto de Vista My Big TOE

Reencarnação Pelo Ponto de Vista My Big TOE

Que relação a reencarnação com a Minha Grande Teoria de Tudo – My Big TOE – de Tom Campbell. Leia um pouco mais e veja como já chegamos nisso.

A perspectiva da ciência tradicional.

A ciência tradicional, mesmo que nos esqueçamos disso, parte sempre da hipótese materialista. Isto quer dizer, que mesmo quando isso não é dito, está lá subentendido. É por assim dizer, a crença da maioria dos praticantes da ciência.

E onde isso nos leva? Leva que a partir daí, consideram que o ser humano é apenas um corpo físico, constituído de partículas (sejam lá quantas existirem hoje) que formam os átomos . Estes por sua vez formam as moléculas que formam as células (estas já vivas, sem um porquê claro disso) e que por fim formam nossos corpos.

O cérebro também é parte do corpo “material”, mas consciente por acidente (ainda segundo os materialistas.

A Consciência é considerada o Problema Difícil da Ciência (Hard Problem) pois eles não encontram forma clara de chegar a ela, partindo dos componentes supostamente materiais. Apenas dizem que foi um processo acidental e que é algo apenas transitório — ou seja — que a consciência acaba com a morte do corpo.

Então, se a consciência é acidental e acabasse com o fim do corpo, a morte seria final e seguramente, não haveria reencarnação.

Vale comentar também, onde entra a Física Quântica.

Os experimentos em Física Quântica trouxeram a tona diversas anomalias que mostram, que as partículas não se comportam com se espera que a “matéria” se comporte. Ela também introduziu a influência do observador consciente no resultado dos experimentos (ou seja, naquilo que deveria se comportar de forma material, mas não se comporta assim).

A Física Quântica, não explica o porquê disso, mas levanta suspeitas sobre a consistência da realidade e da matéria em geral. E já não é pouco, pois desestabiliza as “crenças de plantão“. Quem disse que só a religião é composta de crenças?

Lara Croft, famosa personagem (Avatar) dos jogos virtuais.

Reencarnação e Simulação, ou Realidade Virtual

My Big TOE de Tom Campbell, propõe que consciência é aquilo que é realmente fundamental, ou seja, a origem de tudo o mais.

A consciência seria digital, informacional . Portanto as coisas, não seriam feitas de matéria (partículas sólidas), mas sim de informação contida nessa consciência digital.

A sensação de solidez viria da nossa percepção, programada em nossa forma de ser, nosso programa para interpretar essa realidade.

E a Reencarnação como fica?

Se a consciência é fundamental e “nossa consciência” é uma parcela dela — daquela que tudo constitui — nossa consciência não seria apenas temporária, como querem alguns cientistas.

Ela é a fonte e sendo parte dela, somos “tão” perenes quanto a fonte. É a consciência que anima o que “parece ser” um corpo. É ela que o sustenta (que lhe dá vida), e não ao contrário.

Já que falamos de digital e virtual, fica mais fácil usar a metáfora de um vídeo game.

Em um video game, o operador ou jogador está na verdade “fora” do jogo com o computador, está no comando daquilo. Assim somos ali a suposta consciência dos personagens. O que ocorre quando chega no fim do jogo? Quando acaba a vida daquele personagem? O jogador morre junto?

Claro que não, ele vai jogar outro jogo, com outro personagem. O jogador ou consciência, não é parte interna do jogo, está no controle e não termina com ele.

Percebe como ficou clara esta analogia com a reencarnação?

Avatar Virtual

Reencarnação é uma boa descrição para o processo?

Podemos chamar nossa metáfora de Simulação ou de Realidade Virtual. Se consideramos as pistas da Física Quântica sobre a “matéria” não se comportar como se fosse material (partículas, átomos e moléculas), já começamos a caminhar na direção de uma boa explicação.

O jogador e o computador não são parte da nossa realidade percebida. Nossa consciência comanda o personagem e não perece com ele… Consequentemente, segue disponível para experimentar outros personagens. E quantos já terá talvez experimentado?

Assim que por nossas metáforas atuais, REENCARNAÇÃO não prece ser o melhor descritivo para o processo. Como não há matéria propriamente dita, não há carne envolvida. Então não caberia descrever como “reencarnação”, já que o processo é todo “virtual” ou “simulado”.

Trata-se apenas da percepção de matéria e de carne. É como ocorre em um sonho. Percebemos ter um corpo com maior ou menor definição, mas trata-se apenas de um corpo imaginado. Apenas informação na mente.

O Tom em seus livros, chama o processo de passar por uma “vida”, de “Pacote de Experiências“. Quando se deixa o Pacote de Experiências atual, se progride para o próximo pacote. Deixamos o personagem ou avatar atual, e prosseguimos para outro.

O lado claramente bom disso tudo, independentemente dos nomes que se dê, é que morte, não parece ser o oposto e vida, mas apenas o oposto de nascimento. Apenas dois fatos que demarcam a entrada e saída deste ambiente virtual, que gera a possibilidade do pacote de experiência. Vida engloba tudo, inclusive estes pacotes e não acaba com eles.

Quer entender tudo isso melhor? Veja mais nos livros e vídeos My Big TOE ou nos eventos do Tom e suas gravações, com informações espalhadas aqui pelo site.

Autor do artigo: Mario Jorge My Big TOE Brasil

Se tiver comentários, são bem vindos e pode deixá-los mais abaixo.

11 comentários em “Reencarnação Pelo Ponto de Vista My Big TOE”

  1. Perfeita a sua colocaçâo! Temos que ir e vir no assunto fisica, e mastigando como você fez nesse artigo. Estou amando e devorando seus conteúdos. Gratidâo!!

  2. Concordo com o ponto de vista apresentado, acredito que estamos numa realidade completamente virtual, um jogo onde as emoções e os sentimentos fazem a parte do que chamamos de consciência. ainda estamos num nível muito baixo, inicial do jogo e por isso não compreendemos como a coisa funciona, mas a medida que vamos experienciando as jogadas vão ficando mais dinâmicas nos aproximando de uma realidade maior que não pode ser vista, mas pode ser sentida.

    1. Sim e cientes disso, observando o que se passa fica mais fácil captar as regras de funcionamento e adquirir domínio… Em especial entendendo o objetivo de seguir crescendo… baixando a entropia…

  3. Boa noite gostaria de saber sua visão sobre fractais da alma, cada fractal esta vivenciando uma experiencia de vida em épocas ao mesmo tempo já que o tempo é relativo e se as emoções(energia) de um fractal pode ser sentido por outro fractal .Como se encaixa na teoria do Tom nosso acesso a outras vidas.

    1. Olá Clair, boa tarde. Grato por seu comentário/questão.

      Eu aqui respondo (em português) pela visão My Big TOE, sobre as eventuais questões que surgem.
      A experiência do Tom o levou a propor que a consciência se desenvolve na forma fractal, por assim dizer curvando-se sobre si mesma, dos níveis menores para os níveis maiores, sendo nossa realidade aparente, um desses níveis… e talvez nós mesmos também sob vários outros aspectos.
      O Tom fala de consciência e não de alma, ainda que acabe ficando um pouco equivalente, como descritivo.
      O que realmente somos, nossa consciência, aquilo que observa e está no controle do avatar (o personagem) que experimenta este nível de realidade, de Unidade Individuada de Consciência… uma parte do Todo.. da consciência mais ampla e fundamental, que tudo gera.
      Esta unidade individuada por sua vez, “segrega” uma parte de si, que ele para descrever chama de Unidade Perceptiva/Consciente de Livre Arbítrio, e é a parte de nós que está mais diretamente em contato com o “corpo” e esta experiência.
      Nesse aspecto vc ve uma caracteristica fractal se quiser descrever assim.
      E sim, ele descreve a possibilidade de um ser, uma consciência individuada, ter unidades perceptivas de livre arbítrio, atuando “ao mesmo tempo” por assim dizer, em mais de um personagem ou avatar. O que não quer dizer que isso seja frequente.
      E por fim quanto ao tempo, dentro de cada simulação ou realidade virtual, ou realidade paralela, cada uma pode ter seu proprio ritmo, ou velocidade de rodar o programa. Entre uma e outra, são todas realativas, mas todas baseadas em um mesmo tempo fundamental, e todas com o tempo progredindo para a frente. Passado definido e registrado… alternativas de futuro calculadas e guardadas, mas dependentes das escolhas reais que venham a ser feitas pelas consciências participantes… Existem futuros mais prováveis ou menos prováveis.. mas não escritos em pedra como se já tivessem ocorrido, ou como se tudo ocorresse ao mesmo tempo.
      Quanto ao acesso a outras vidas, o Sistema Mais Amplo de Consciência, uma espécie de rede www (internet) de consciência, tem todo o histórico armazenado nele. Nós como consciência podemos em principio (se aprendemos a acessar isso) buscar qualquer informação desse histórico, em especial se for útil para nosso desenvolvimento. Está tudo lá e temos acesso, como consciência.

      Essa é um pouco da visão do Tom… de forma bem sumária. O tema que vc propos é bem amplo…

      Forte abraço e obrigado pelo contato…

      Mario Jorge

Deixe seu Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.