Arquivo da categoria: Sem categoria

INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL – VIDA APÓS A MORTE

Qual a conexão entre inteligência artificial e vida após a morte?

Faz algum tempo recriaram uma personalidade aparente de Salvador Dali para seu museu na Espanha. Não encontrei a versão com legenas em Português, mas o video é este abaixo (em Inglês).

Inteligência Artificial recriando Salvador Dali – Video

Qual foi a ideia dos criadores desse sistema?

Permitir que os visitantes do museu interagisse com uma personalidade bastante aproximada daquela do artista já falecido, para ajudar assim a terem uma melhor compreensão da obra dele.

Como fizeram isso?

Reuniram todas as informações que tinham sobre Dali, fotos, videos, textos, frases marcantes, etc., que tinham dele e buscaram a ajuda de especialistas em computadores, e programação para criar um Totem interativo com imagens em tamanho real.

Supostamente dizem ter usado inclusive programas de IA (AI) Inteligência Artificial para aprender sobre as expressões, comportamentos e ideias do artista.

Digo supostamente pois creio que se trata apenas do que mais próximos disponhamos de uma IA de verdade, ou seja, um programa de computador muito sofisticado que simula isso de forma muito convincente. Mas isto é apenas um detalhe que não impacta em nosso raciocínio.

O que conseguiram com este esforço?

Algo muito bom, interativo e próximo da realidade. As pessoas conseguem falar com Dali como se ele estivesse de fato ali disponível para aquela interação. Ele chega até a oferecer e fazer selfies como as pessoas que estão ali interagindo.

Para quem não o conheça realmente a fundo, e imagino que não se tratando de diálogos muito elaborados. Isto é “como se” estivessem realmente falando com o falecido Dali. Ele chega até a questionar se as pessoas realmente acham que ele morreu.

Fica de alguma forma a sugestão de que Dali foi imortalizado ali pela reconstrução de sua personalidade ali disponível para interação.

E o que inteligência artificial e vida após a morte tem que ver um com o outro?

Pelo menos dois pontos a destacar.

1 – O primeiro é que fica uma sensação na descrição do feito pelos envolvidos que de alguma forma ele (Dali) estaria mesmo capturado e imortalizado ali, dentro daquele sistema.

Ora, hoje isto é objetivo de muitos, que em geral “têm crenças materialistas”, que através da ciência buscam formas de se imortalizar – ou pelo menos imortalizar o personagem que elas pensam ser.

Existem cientistas efetivamente tentando (entre várias abordagens) criar condições de fazer o download do conteúdo do cérebro (que eles crêem ser a fonte da consciência), para computadores e eventualmente andróides, assim podendo pertetuar o que supõem ser a única vida, de forma indeterminada.

Isto, se alcançado, permitiria uma “vida após a morte”, de algum tipo, para quem se crê ser apenas matéria.

2 – O segundo ponto de conexão seria, que talvez quando supomos ter contato com os mortos, diretamente ou através de algum médium, pode ser que realmente estaríamos falando com uma IA de plantão, disponível apenas para nossa interação, não sendo “de verdade” mais o “falecido” que fica por ali de plantão “esperando” para ser consultado pelos familiares.

Isto pode chocar alguns, mas peço alguma paciência pois vou esclarecer melhor. Uma atitude de mente aberta e cética é no entanto necessária, para dar a você, uma chance de compreender o assunto antes de apenas descartá-lo.

Qual o ponto de vista My Big TOE (Minha Grande Teoria de Tudo) sobre tema?

É bem próximo do 2o ponto considerado acima.

A teoria MBT apontaria aos seguintes fatores:

  • a realidade é virtual, digital e gerada pela consciência fundamental.
  • somos a consciência individuada que “pilota” o avatar, portanto a morte do personagem não é a morte da consciência que continua.
  • experimentamos “pacotes de experiência” (chamados por alguns de “vidas”) nesta realidade simulada/programada.
  • entre pacotes de experiência seguimos existindo como consciência individuada, mudando apenas de “ambiente”.
  • a consciência que somos segue evoluindo e se modificando com cada aprendizado que temos, tanto nas interações nesta realidade, como nos tempo intermediário entre os pacotes sucessivos de experiência.
  • o “sistema mais ample de consciência digital” (LCS) tem toda informação armazenada sobre quem éramos até o momento do fim da “vida” do personagem.
  • a consciência que termina seu pacote de experiência aqui segue sua evolução deixando de ser aquele personagem.
  • o “sistema” utiliza a informação completa sobre os personagens que existiram, permitindo a recriação dos mesmos, “como se fosse uma IA interativa”, para interação com os familiares interessados.
  • essa disponibilização é apenas para beneficio daqueles que podem ser auxiliados por essa interação, na resolução de conflitos ou temas pendentes seus, com a figura do “falecido”.

Ou seja, os “mortos” seguem em frente, seguem crescendo (ou pelo menos tendo oportunidade para isso). Assim, faz muito sentido que deixem de ser o que eram por ser mais do que aquilo. E realmente não faz sentido que fiquem de plantão esperando “contato”.

E os contatos que eventualmente ocorrem, ocorrem com a mais fidedigna cópia congelada (no sentido de sem evolução adicional ou vida própria) recriada pelo LCS para estas interações.

Todos os envolvidos ficam satisfeitos. Quem precisava do contato o tem disponível. Quem precisava seguir em frente pode fazê-lo sem ficar preso ao histórico.

Conclusão: a IA de Dali simula mas da realidade do que parece!

Sim, é isso mesmo. Sou grato a leitora Solange que compartilhou esse video sobre o Dali comigo. Ele é uma descrição muito acurada do que o sistema (LCS) oferece como suporte a quem procura contato com seus entes falecidos. Me deu inspiração para escrever este artigo.

E esta imagem explica muito melhor que muitas palavras.

De forma resumida, o sistema disponibiliza uma interação com um banco de dados inteligente que utiliza todas as informações (muito mais detalhadas e melhor operadas que o sistema do nosso Dali) sobre a pessoa contactada, e a recria sob demanda para cada interação.

Como o sistema é inteligente ele calcula quais seriam as possíveis reações e respostas “daquela pessoa no banco no banco dedos“, mesmo a informações novas, que o “falecido” não dispunha ao momento da sua morte. Isso dá muito mais realismo a coisa.

É “O Sistema”, trabalhando.

Não se trata de apenas mais um computador qualquer.

Veja também este artigo anterior (Reencarnação pelo ponto de vista My Big TOE) para melhor compreensão do acima exposto: https://mybigtoe.com.br/reencarnacao-pela-teoria-mybigtoe/

Artigo escrito por Mario Jorge.

Foi baseado nos conceitos, teoria livros e vídeos de Tom Campbell, autor da My Big TOE.

Arquétipos e Consciência de Grupo – Qual o Impacto?

Como My Big TOE enxerga os Arquétipos? E a Consciência Coletiva ou de Grupo? Qual a relação entre eles e qual o impacto para nós?

Bate papo com Tom Campbell especial para o Brasil – transcrição do video.

Boa noite (ou pelo horário daí boa tarde) Tom.

Obrigado mais uma vez por dedicar um tempo para falar com a gente, em especial para o seu público brasileiro e comigo, por nos dar esta honra novamente

Vamos começar a conversa hoje com a pergunta de uma amiga. Eu adentei uma resposta para ela, mas achei muito interessante de fazer à você aqui também.

Era sobre os arquétipos de Carl Jung. Ele tem suas explicações para isso, de que são padrões de comportamento, por exemplo para um pai, uma mãe, ou outro.

Este é um dos seus aspectos e entendo que ele diz ser…. Imagens de padrões arcaicos universais derivados do inconsciente coletivo. Esta é a definição curta para isso.

Mas a pergunta é: como a My Big TOE vê isso (os arquétipos)? Poderia isto ser interpretado como um tipo de ”programação”? Como padrões de programação que estão disponíveis lá para quando você chega aqui, neste vamos chamar de ”pacote de experiência”, para que possa utilizá-los e que eles possam ajudá-lo guiando-o, ajudando a aprender?

Por exemplo: Você vai ser mãe pela primeira vez na vida. Existem alguns instintos que você acessa deste “modelo” e parece, que facilmente isso poderia ser algo programado.

Então qual seria a sua visão, ou a visão da My Big TOE sobre o que estes arquétipos são?

Ok, Para falar a verdade o modelo My Big TOE explica isso muito bem.

Os Arquétipos são resultado do que chamamos de ”Consciência Coletiva”. As vezes também chamada de “Consciência de Grupo”. E ela é uma somatória vetorial de todas as consciências que pertencem a determinado grupo.

Vamos começar com algo simples como, uma multidão. Ela é um grupo, talvez uma multidão de pessoas com raiva, com muita raiva. E esta multidão tem sua própria consciência coletiva.

Se você se juntar a esta multidão, irá se sentir com mais raiva do tinha que antes de ter entrado nela, Por causa desta consciência coletiva.

E a multidão fará mais coisas mais terríveis que qualquer um dos seus membros faria se estivesse sozinho. Juntos são muito mais brutos do que seriam individualmente.

E isto acontece porque aquele modo mental (mindset) de raiva que cada um tem afeta o outro. Cada pessoa com raiva ajuda outras pessoas a se sentirem com raiva também. Esta é uma consciência coletiva que pertence àquele grupo. Se você sente que faz parte daquele grupo.

Agora se faz ou não faz parte daquele grupo depende da sua intenção. Você vê a si mesmo como parte daquele grupo? Se você não sente, então aquela consciência coletiva não vai te incomodar. Só irá incomodar aquelas pessoas que se identificam como membros daquele grupo.

Agora isto funciona em todos os níveis, em todos os tipos de agrupamentos.

Então se nós temos um grupo, como por exemplo a humanidade, ela tem sua própria consciência coletiva. É como se fosse a soma de todos os humanos.

E ela lhe dá… ela contém informações de como é ser humano, do que significa ser humano, como nós somos humanos.

Não é algum tipo de conceito fundamental de ser humano, mas sim a soma vetorial de todas as pessoas no grupo. Ou seja, de todos os humanos.

Então você pode pensar ”uma consciência coletiva da humanidade deve ser ampla”. Não seria algo tão específico. Seria algo muito amplo

Mas há arquétipos humanos, assim como arquétipos masculinos e femininos, assim como você disse, arquétipos de pai e mãe.

Mas você também pode ter arquétipos nacionais. Um país. De todas as pessoas que se identificam com aquele país. Então aquele país tem uma consciência coletiva. E alguém de fora vem e diz ”Ok, eu quero fazer parte deste país agora”.

Bem, agora em suas cabeças eles começaram a se associar com isso e assim começam a receber informações desta consciência coletiva que, no caso, eles começam a agir e pensar um pouquinho mais como as pessoas daquele país. eles começam a se tornar assim.

E até mesmo uma corporação. Se você tem uma corporação como Mercedez Benz ou IBM

Caterpillar

Oh, Caterpillar sim, ou até da Amazon.

Todas as pessoas que são membros de algo, por exemplo, todos que trabalham para a IBM, têm uma consciência coletiva também e quando você começa a trabalhar para a IBM, sente que sua atitude, seus sentimentos e valores, começam a mudar um pouco.

Você começa a parecer mais com as pessoas da IBM. E todas as pessoas da IBM se vestem de forma parecida, meio que tem ideias similares sobre a vida, a realidade, este tipo de coisa.

Então, pode ser um… uma família, pode ser apenas um grupo pequeno de uma família.

Aquela família, se você tem uma família unida onde os membros dela se identificam “eu sou um membro desta família”. Então, há arquétipos desta família com os quais pessoas podem se conectar.

Mas digamos que você trabalha para IBM, mas não sente de fato que faz parte dela, se sente como alguém de fora. Você pode trabalhar lá, mas se não vê a si mesmo como um “cara da IBM”, então, a consciência coletiva não irá te afetar tanto. Você não terá tanto feedback dela, receberá apenas um leve toque dela.

Você pode ser um cidadão brasileiro e se realmente se identifica como brasileiro, então acaba recebendo mais deste arquétipo brasileiro e irá significar mais para você. Quanto mais você se identifica, mais você recebe dele. Agora se vive aí, mas não se identifica muito com a cultura do país… vai receber menos disso.

Então isto é Consciência Coletiva. E é disso que Carl Jung estava falando em seus arquétipos. Ele só não entendia que isso é uma função da consciência, mas de fato entendeu que existem estes arquétipos e que estes arquétipos na verdade têm com conteúdo.

E pessoas que são membros de um grupo em particular recebem este conteúdo. Este conteúdo está conectado à eles, porque quando você diz ”eu sou membro de um grupo”, meio que abre um link, um link psíquico ou mental com aquele grupo.

E agora você também altera o grupo um pouquinho porque você meio que ”compartilha” suas coisas, mas você é apenas um, e o grupo é grande, então na maioria dos casos é o grupo que altera mais a você, do que você ao grupo.

O grupo pesa mais?

Sim o grupo pesa muito mais e então você acaba sendo mais como o grupo.

Então, qualquer organização, seja uma organização religiosa ou uma profissão como por exemplo todos os encanadores. Se eles realmente se identificam com ”eu sou um encanador” então todos eles formam uma consciência de grupo e vai haver um arquétipo que tem algo a ver com a profissão de encanador.

E se você realmente se identifica com isso, você começa a receber informações sobre ser encanador e você se torna um encanador um pouco melhor pelo simples fato de ter se associado, em sua mente, com aquele grupo de pessoas. De repente você começa a receber um pouco daquela informação e interpreta isso como intuição.

Você apenas segue sua intuição, por exemplo “Bem, eu vou usar este tipo de válvula ao invés daquele”. Você sente aquela intuição, e isto é você acessando o arquétipo mais amplo dos encanadores.

Então, é interessante. Todos os grupos em que estamos, se somos membros de uma família,

podemos também ser membros de uma igreja, ou de um clube social, ou de um país, membros de um estado… quem sabe? Nós tempos todos os tipos de coisa. Talvez você seja membro do clube de escoteiros ou das escoteiras, ou de alguma organização social, tudo funciona da mesma maneira.

Conforme nos tornamos parte de uma organização social, começamos a agir mais como as pessoas que fazem parte daquela organização social.

Agora uma das coisas legais sobre esse negócio de Consciências Coletivas, falamos sobre a multidão agitada, onde a multidão empurra todos para um baixo nível de comportamento mais baixo de evolução, simplesmente porque todos começam a ficar mais nervosos.

A mesma coisa acontece com pessoas bastante evoluídas. Se você tem alguém com pouquíssimo medo, cheio de amor, carinho, cooperação e compaixão e você sai com esta pessoa, bem, isto te impulsiona a também evoluir um pouquinho.

E se você se identifica com grupos como este, se interage com pessoas assim e, enfim, se identifica, isto o impulsiona a evoluir um pouquinho. Então você começa a achar mais fácil se livrar do medo, começa a achar mais fácil não ficar desapontado ou com raiva, porque agora você está envolvido com um grupo que tem uma qualidade melhor que a sua.

Então as pessoas com quem você anda é algo extremamente importante.

Porque se você se identifica como parte de um grupo, você começa a se tornar mais como ele. Você começa a receber ”downloads” daquela Consciência Coletiva. Você tem inclinações à ver as coisas como eles veem.

Por isso nós dizemos às nossas crianças que é muito importante quem são seus amigos, com quem estão.

Tenha certeza de escolher algumas pessoas de alta qualidade par serem seus amigos porque

isso irá afetar a sua vida. Se você escolher pessoas de má qualidade para serem seus amigos, isso também afetará sua vida, mas não de uma forma tão boa.

Então é sobre isso que Carl Jung estava falando, desta Consciência Coletiva e é algo interessante porque nós pertencemos à tantos grupos e nem nos damos conta de que eles nos afetam. Eles nos dão ”insights” as vezes, mas as vezes eles nos dão crenças ou as vezes ainda podem nos dar mais medo ou raiva. Podem nos dar todos os tipos de coisa, mas eles também podem nos dar coisas boas.

Então essa é a explicação para isso.

Você acabou de acessar dois aspectos diferentes. Há um aspecto bom e um ruim.

Sim.

E o seu livre arbítrio é muito importante aqui, porque se você decide, digamos, escolher um grupo ruim que gera coisas ruins e você entra nele, se identifica com ele, começa a receber ”input” deste grupo e o aceita, porque você deve ter que aceitar, eu imagino.

Se você decidir delegar seu poder de decidir e fazer apenas tudo o que recebe e pensar nisso como sendo você, ainda assim a decisão é sua…

Sim.

As consequências serão suas.

E você não é obrigado, você não tem a obrigação de seguir aquilo que está recebendo.

Exatamente. Nada te força a se juntar e nada te força a fazer nada, é você quem deve fazer a escolha. Mas ela (consciência coletiva) sim influencia você, influencia as escolhas que você faz, mas só você é quem pode decidir.

Não há desculpas, você não pode culpar ninguém pelas suas escolhas. Todas as suas escolhas são feitas por você e você deve tomar responsabilidade pelas escolhas e pelas consequências delas.

Então digamos que alguns dos vetores de todos os indivíduos em um grupo que gera essa coisa toda, à qual você pode fazer parte ou não.

Eu quero dizer…. Não é algo sozinho e com livre arbítrio certo?

Certo. É apenas algo que está sendo construído por pessoas pensando juntas na mesma coisa, ou modelando a mesma vibração, digamos.

Sim, ela não existe sozinha como um ser, eu quero dizer. Não como um indivíduo com livre arbítrio. Não ela não existe sozinha e por este motivo ela muda conforme mudamos.

Digamos que você comece a falar sobre mães.

Bem, ser uma mãe hoje em dia, em 2019, é bem diferente do que ser uma mãe vinte anos atrás, então ela muda. Aquela consciência coletiva de maternidade, todos que se identificam como mães, então ela muda, ela continua se atualizando e é isso o que a mantém atual.

É por isso que ela não envelhece e para de funcionar, porque ela é sempre atual, e sempre te trará coisas atualizadas que você pode usar.

Se fosse algo que existisse individualmente como você estava dizendo, se fosse apenas uma coisa em si, bem, uma hora ela não faria mais sentido porque a maternidade cem ou mil anos atrás era muito diferente, as responsabilidades eram diferentes.

Mães naquele tempo tinham duas grandes preocupações, que eram 1) permanecer viva e 2) encontrar algo para comer, para ela e para seus filhos e isso consumia a maior parte da sua energia, só essas duas coisas. E protegê-los dos elementos.

Isso não é mais verdade hoje. Mães hoje em dia geralmente não estão mais no mesmo ambiente que as mães daquela época então, os medos são um pouco diferentes, as atitudes para com os medos também são diferentes, então as coisas mudam.

Mas agora a maternidade é um tópico especial porque maternidade tem um outro componente adicionado que são os instintos.

Você vê? Há uma diferença entre Consciência Coletiva e Instintos.

Animais tem instintos e humanos são também animais logo, humanos também tem instintos.

E instintos, seja em humanos ou em qualquer outro animal, tende a girar em torno da sobrevivência.

Eles giram em torno da sobrevivência da espécie, não só a de um indivíduo, mas da espécie. Então, sobrevivência e procriação. Então é sobre conseguir o suficiente para comer, é sobre… fazer mais bebês para que a raça não se extíngua. É sobre abrigos, relacionamentos, enfim, nós temos instintos atrelados à estas coisas que tem a ver com nossa sobrevivência e nossa procriação.

Então, maternidade é parte da procriação. Também é parte da sobrevivência pois nós como raça não sobreviveríamos sem ao menos a procriação de novos seres conforme àqueles que morrem. De qualquer forma, para resumir, é apenas instintivo.

E instintos também podem mudar e se atualizar. Instintos são produto do ambiente, porém são muito lentos de se alterar. Nós ainda temos instintos de talvez cem mil anos atrás e alguns dos nossos instintos básicos não mudaram por cem mil anos.

Mas você pode modificar estes instintos com sua intenção. Então, você não precisa fazer o que seus instintos de mandam fazer, você pode modificá-los um pouquinho, fazer um pequeno update, mas ainda assim você está seguindo seus instintos básicos: Sobrevivência e procriação.

Então, estes instintos são muito fundamentais, muito básicos. E maternidade é uma destas coisas. Então mulheres tem instintos. Vamos dizer, uma mulher que chega aos seus 25 anos de idade e seu alarme dispara o que significa que ela começa a sentir vontade de ter um bebê.

Ela quer começar uma família, ela quer encontrar um marido e conseguir ter uma boa situação para começar a criar seus filhos. Bem, isto é parte dos seus instintos, procriação. Ela chega àquele ponto em que sua biologia começa a lhe dizer que ela precisa fazer aquilo.

E a dificuldade com instintos é que se você vai para o lado oposto ao que seus instintos lhe dizem para fazer, isso faz você… Faz você se… como eu posso dizer… se sentir mal. Sentir como se estivesse perdendo algo, como se não estivesse fazendo o certo.

Você se sente de alguma forma fracassado, você não se sente satisfeito com a sua vida, então, se somos opostos aos nossos instintos, àqueles aos quais eu falei, que giram em torno da sobrevivência e em torno do sexo. Se nós não estamos alinhados a estes instintos enlouquecemos. Nos fará ranzinzas, nós ficaríamos neuróticos. Então é importante saber que você tem instintos e quais eles são.

Agora você pode jogar com estes instintos de várias formas. Mas se você se opõem, como eu disse, se caminha em direção oposta ao que o instinto está lhe dizendo para fazer, isso irá te causar depressão. Irá lhe tornar neurótico, porque você está indo contra o que o seu ”ser fundamental” e seu corpo dizem que você deveria fazer.

E isso cria estresse e estresse cria vários outros problemas. Então nós precisamos entender os nossos instintos, precisamos satisfazê-los, mas de uma maneira que faça sentido nos dias de hoje.

Então isso é algo diferente de Consciência Coletiva, isso é só Biologia. É parte do que está instalado. Parte da nossa Biologia está instalada desta maneira. É o que nos permite sobreviver como espécie.

Então pelo termo ”hardwired” nós podemos dizer que é uma programação mais estrita. Sim, códigos.

Está programado. Digamos, uma forma equivalente de se dizer.

Sim.

Mas de qualquer maneira, isto, você está dizendo que há também uma outra forma de, digamos, criar ou perceber nossa realidade.

Se você se envolve com algum tipo de movimento que é muito depressivo, muito negativo, e você fica ao redor de pessoas que agem e pensam daquela forma, então você começa a se aprofundar nisso. E então você começa a escutar coisas ou ver coisas e então tudo confirma que as coisas são da forma que você esperava.

Você está no mesmo mundo, sobre a mesma “superfície” digamos. E você está vendo algo completamente diferente de muitas outras pessoas, porque você está “sintonizado” com aquele canal.

Sim.

Você cria uma realidade e você começa a receber confirmações de que as coisas são realmente daquele jeito e de que você não está louco. Se você não está alerta, presente, prestando atenção nas coisas, você pode se envolver, e sai de seu controle… O seu controle é tomado naquela direção e sabe-se lá Deus quando você irá voltar.

Sim, absolutamente, é assim que funciona. Nós vemos muito disso nos dias de hoje. A internet está cheia de coisas assustadoras. Eu acho que uma delas seria as teorias da conspiração. Elas estão todas cheias de medo. Isso é muito contagioso.

Sim, medo, medo e medo e estas teorias da conspiração, e pessoas medrosas acabam se apegando a elas porque, a verdade é que uma vez que você enxerga a si mesmo como vítima você vai direto para o fundo do poço.

Quando você se vê como vítima você se sente perdido, porque vítimas não podem fazer nada sobre nada. E o que estas pessoas fazem é dizer ”não é culpa minha, é esta outra coisa” ou “é culpa dos aliens”, ou são os ricos. Eles apontam os dedos em todas as direções e tipos de coisa…

Ou foi o Deus louco ou mal que criou isso tudo…

Sim, “o Deus enfurecido quem criou essa bagunça”, então o que eles estão fazendo é tentar dizer ”não é minha culpa”. Não me culpe, e estão tentando escapar de qualquer responsabilidade e então acabam como vítimas, e como vítima você não pode mudar nada.

Como vítima você está preso, você não cresce com as situações, você não enxerga o que há por detrás. Uma vez que você é uma vítima você está perdido, no fundo do poço.

Então este é absolutamente o pior lugar que qualquer consciência pode estar: o de ver a si mesmo como vítima.

Esta é uma armadilha da qual é difícil sair. Porque você definir que é a vítima significa que não pode fazer nada. E se você não pode fazer nada a respeito, então você está preso com isso.

Agora tudo o que você faz é ficar cada vez mais nervoso e depressivo, até que você simplesmente atira fogo em si mesmo, você comete suicídio, ou simplesmente fica louco, ou se torna uma pessoa ruim, este tipo de coisa.

Esta é a pior coisa que pode acontecer à alguém.

E estas teorias da conspiração são criadas com base no medo. Elas sugam pessoas para isso. Pessoas que estão procurando por uma desculpa, alguém ou algo em quem colocar a culpa. Em geral porque não querem assumir a responsabilidade de suas próprias vidas e de suas próprias escolha, se agarram à estas teorias.

E como você disse, eles são sugados, eles se tornam parte daquela Consciência Coletiva

E sabe, é nossa realidade, cada um de nós vive em sua própria realidade. Porque nossa realidade é resultado de como interpretamos a informação que recebemos. Da forma como a interpretamos.

Nós recebemos informação do ”servidor”, se assim podemos chamar, ou ”computador” ou ”consciência”, e precisamos interpretar esta informação.

Sua interpretação desta informação é a sua realidade.

E nós interpretamos as coisas baseados em nossas crenças, medos, em nosso amor, nosso afeto, tudo o que nos compõe, é assim que interpretamos as coisas.

Eu ouvi uma estória, não sei se é verdade, sobre um homem em Nova Iorque que tinha pavor de elefantes, de elefantes selvagens. É claro que não há elefantes em uma cidade grande como Nova Iorque ou São Paulo.

São enormes cidades urbanas, não há elefantes andando soltos por aí. Mas porque ele acreditava nisso, se ele visse uma pegada em algum lugar ele dizia ”Ah! Está vendo? Essa é uma pegada de elefante”. É por isso que essa pegada está aí.

E ele não via, por exemplo o vento balançando os arbustos à uma certa distância. Para ele eram elefantes que estavam escondidos atrás da folhagem fazendo elas se moverem.

Ele via sinais de elefantes em todos os lugares e é por isso que ele era tão aterrorizado por elefantes. Então sim, assim como você disse, você cria a realidade da qual você tem medo.

Seja lá qual for o seu medo, você tende a criar aquela realidade que você teme e isso é lamentável. Então se você teme que este seja um lugar feio em que todos estão lá fora para roubar uns aos outros, você tende a fazer e dizer coisas e encontrar maneiras de criar este lugar, como sendo tão feio como o imagina.

Se você tem uma atitude negativa com relação à sua vida e a onde você mora, você ajudará a tornar sua vida e o lugar onde você vive, cada vez mais negativos.

Então você se torna parte do problema, não da solução…

E é por isso que teorias da conspiração que são baseadas no medo e elas se tornam parte do problema e não da solução, porque aquele medo na verdade ajuda a criar aquela realidade que é temida.

As pessoas começam a entregar seu próprio livre arbítrio para outras quando elas se enxergam como vítimas.

My Big Toe e a Cura – Rádio Mundial

Na ultima quarta 8/5/19 as 15hs tivemos uma entrevista ao vivo sobre My Big TOE de Tom Campbell, sobre os processos de cura e o papel da Intenção e da Consciência nesse contexto.

(Este trecho do livro 1 fala sobre a agitação da vida moderna e a falta de atenção com o momento presente e foi lido pela entrevistadora Valdiviah na abertura do programa).

Gerenciamento de tempo, um conceito nascido na Era Industrial vai ao crítico na Era da Informação. Se não estamos dormindo, estamos muito, muito, muito ocupados em uma perseguição quente, sobre o que quer que seja que vai acontecer a seguir.

A maioria de nós valoriza o momento presente apenas como uma ponte para o futuro.

Porque vivemos na correria, temos uma tendência a confundir a vida, significado e objetivo, com movimento. O fato é, que as escolhas que fazemos (e que em última instância nos definem), todas elas ocorrem no presente.

Extraído da Página 191 do livro 1 Minha Grande Teoria de Tudo – Despertar (My Big TOE – Awakening) – Tom Campbell

Consciência é fundamental, tudo o mais é derivado!” – Tom Campbell

A terapeuta Solange (a esquerda) a entrevistadora Val (ao centro) e Mario Jorge da My Big TOE em Português (à direita).

Mario Jorge Pereira dos Santos – Engenheiro, Pós em Economia do Comércio Exterior, Treinamento como Master em PNL, buscador do autoconhecimento pelos últimos 10 anos. Responsável pela tradução e publicação da My Big TOE no Brasil.

Quem é Tom Campbell ?

É um Físico Nuclear e Pesquisador da Consciência americano.

Trabalhou para a NASA e o Departamento de Defesa no desenvolvimento de simulações para solução de problemas.

Se interessou pela Consciência quando nos anos 70 conheceu a Meditação (e seus efeitos práticos) e encontrou Robert Monroe, autor de Viagens Fora do Corpo.

Como físico ajudou Monroe a montar um laboratório de estudo da consciência e seus estados alterados e desenvolveu o uso de áudios binaurais, em frequências específicas, para ajudar no atingimento de estados meditativos profundos e produtivos.

O que é My Big TOE e sobre o que nos esclarece?

Com mais de 35 anos de pesquisa cientifica e reacional da consciência e do subjetivo, juntando com sua experiência em simulações desenvolveu sua My Big TOE – uma Teoria de Tudo, que inclui a consciência como fator básico, e explica tudo o mais: a Física (inclusive a Quântica), a Filosofia e a Metafísica.

Propõe esclarecimento para as grandes questões da humanidade: Quem somos? De onde viemos? Qual o propósito de tudo isso? Como e a partir do que nosso Universo 3D aparentemente sólido foi criado? Se existe vida após a vida? Como funciona esse processo? Porque as coisas se comportam como se comportam ao nível quântico e qual o impacto para o nível macro?

My Big TOE se baseia em dois pressupostos, a existência de uma consciência fundamental primordial (vazia mas com potencial) e, na pressão do processo Evolutivo – que estimula esta consciência e tudo o mais nela, na direção da evolução pela exploração das possibilidades.

Recomendação do Tom: Não acredite em nada do que digo. Use isto apenas como um mapa para você mesmo explorar e tirar conclusões próprias.

O que é explicado nisso tudo a respeito das possibilidades de cura pelos processos alternativos?

O Universo e a Realidade é no fundo mental, consciência, uma grande rede de consciência digital, na qual estamos mergulhados e somos uma parcela.

Essa rede é chamada pelo Tom de LCS – Larger Consciousness System ou sistema mais amplo de consciência.

A materialidade ou solidez é apenas uma percepção que temos, deste aspecto da realidade. É percepção e interpretação, devido aos programas e filtros que temos ou adotamos.

Percepção e crença, posto de forma curta.

Dado isto, navegamos e atuamos nessa internet da Consciência com o uso da nossa Intenção (se desenvolvemos esta habilidade).

Assim sendo, a possibilidade de cura pela intenção e pela escolha é sim possível. E os vários processos de cura da medicina alternativa, são caminhos ou metáforas que cada um encontra para aplicar sua Intenção e alterar sua própria realidade.

Cura não é o único campo onde podemos impactar nossa realidade.

No entanto por ser algo pessoal, não coletivo, é mais simples de ser impactado, por nós mesmos ou com a ajuda de pessoas para isso treinadas.

Para quem quiser saber mais temos um ebook gratuito no site (www.MyBigTOE.com.br), cujo título é “Física Quântica, Consciência e Realidade Virtual: Como esses conceitos podem impactar positivamente sua vida!” e também à venda, a trilogia My Big TOE de Tom Campbell.

Em 3 e 4 de Agosto próximo teremos também o evento presencial com o Tom em São Paulo, no Espaço Maestro ao lado Shopping Pátio Paulista. Mais em www.mybigtoe.com.br

Tom Campbell BRasil – Entrevista exclusiva

Entrevista concedida pelo Tom, exclusiva para nosso site no Brasil em função de seu evento em São Paulo em 3 e 4 de Agosto 2019!

Clique na figura acima para acessar o video da 1a pergunta da entrevista.

1a Pergunta (acima): Como você descreveria sua My Big TOE para alguém que não a conhece ainda se tivesse apenas poucos minutos? (E esta não é uma pergunta justa pois tem muito sobre My Big TOE para descrever em poucas palavras…).


Clique na figura acima para acessar o video da 2a pergunta da entrevista.

2a Pergunta (acima): Em seus livros você insiste que o leitor tenha uma atitude de “mente aberta” mas seja “cético”, que não acredite apenas em qualquer coisa do que está sendo dito, porque isso?


Clique na figura acima para acessar o video da 3a pergunta da entrevista.

3a Pergunta (acima): Sua teoria tem a Consciência e a Realidade Virtual como dois pontos principais, qual a relação e importância da Física Quântica com My Big TOE ? Ouça em audio abaixo.

Quais são as informações práticas e úteis que My Big TOE trás para ajudar a vida diária das pessoas?

4a Pergunta (acima): Quais são os aspectos práticos e úteis que as ideias de My Big TOE trazem para ajudar os leitores e interessados em melhorar sua vida diária?

5a Pergunta (acima): As pessoas estão muito interessadas nos processos de cura energética ou alternativa. Você pode dar alguma luz sobre como a teoria de My Big TOE dá ou não suporte a isso?

Primeira Foto do Buraco Negro – Simulação ou Realidade

PRIMEIRA FOTO DO BURACO NEGRO
Primeira foto liberada hoje 10/04/19, tirada de um buraco negro no centro de outra galáxia.

Primeira Foto do Buraco Negro

Hoje 10 de abril de 2019, está sendo noticiada nos jornais a 1a foto de um buraco negro. Qual a importância disso?

Primeiro, nenhuma luz é suposta escapar da atração gravitacional de um objeto celeste deste tipo. Assim, a primeira foto do buraco negro não era algo esperado pela maioria das pessoas.

Segundo, a situação especial que permite a possibilidade de se tirar esta foto foi prevista no inicio do século passado, por não menos que Albert Einstein, derivada dos cálculos de sua teoria da relatividade.

Simulação da Imagem do Buraco Negro

Segundo essa previsões teóricas, os físicos modernos foram capazes já faz algum tempo de gerar uma imagem em uma simulação de computador, de como seria essa foto, se um dia lograssem tirá-la. O resultado da simulação foi a foto a seguir.

Imagem gerada em simulação de computador, de acordo com o esperado pela teoria de Einstein.

Como se pode ver as imagens não chegam a ser muito diferentes. Ainda mais se considerarmos os problemas de definição ou resolução da captação de uma imagem captada do centro de uma galáxia distante, e consolidada por um conjunto de telescópios espalhados pela superfície da terra.

É claro que a imagem não é direta do buraco negro em si, mas do entorno dele, pela matéria que está sendo absorvida por ele e emite energia detectável durante o processo, imediatamente antes do mergulho final.

É um feito para a teoria de mais de 100 anos do superlativo Dr. Einstein, cujo modelo segue nos ajudando na descrição parcial da realidade, ainda depois de todos esses anos, ainda que saibamos por exemplo que a Relatividade, não é uma Teoria de Tudo, pois deixa de fora os fenômenos da Física Quântica.

Simulação ou Realidade ?

Dada a situação da descoberta, temos aqui as duas fotos recentes, uma da simulação gerada em computador (segundo as expectativas da teoria) e outra reconstruída a partir da integração da informação do conjunto de telescópios, da fonte no centro de outra galáxia.

Isso é muito fortuito! Não acontece a toda hora, mas é possível hoje, dado o avanço das ciências da informação, em especial na criação de simulações, e que permitem gerar a previsão de uma teoria.

Pelo ponto de vista My Big TOE (de Tom Campbell) uma Teoria de Tudo, baseada em consciência e evolução, nosso universo não é construído de matéria ou partículas sólidas (com massa), mas sim através de um programa que gera para nós, apenas a percepção de um universo sólido, físico, material.

Mas isto vocês provavelmente já sabem dos tópicos anteriores aqui do blog, do nosso ebook gratuito também aqui do site, ou dos próprios livros e vídeos do Tom sobre My Big TOE, sua teoria de tudo. Assim não vou me estender e vou direto ao ponto.

Livro My Big TOE – Minha Grande
Teoria de Tudo de Tom Campbell

Dado que tudo em uma simulação é informação, contida no programa e nos dados acumulados por ele, se estamos em uma Realidade Virtual Digital, como proposto pelo Tom, praticamente não existe grande diferença entre a foto simulada por nós e a primeira foto do buraco negro extraída dos telescópios.

A principal diferença é que uma é extraída dos dados fornecidos pela simulação desenvolvida pelos cientistas em nossos próprios computadores. A outra é extraída dos dados gerados pela simulação maior, gerada pelo LCS (Larger Consciousness System), pela consciência fundamental, que dá suporte a rede de consciência, que computa e gera nossa realidade. Esta que vemos e podemos interpretar com “nossos próprios olhos”.

Ainda te surpreende que ambas as fotos sejam tão parecidas?

E para onde vai a massa absorvida pelos Buracos Negros?

Esta foi a pergunta que um de nossos leitores fez para mim.

Vejam, esta questão da foto do Buraco Negro é de hoje 10 de abril de 2019, e não foi descrita diretamente nos livros My Big TOE. No entanto, o que sempre me surpreende, é que uma vez captado o modelo ali proposto, fica muito fácil raciocinarmos por nós mesmos e chegarmos a conclusões de como a teoria suporta este ou aquele evento. Neste caso não creio ser diferente.

Tudo que parece estar no universo, sejamos nós, gases interestelares, estrelas, planetas e Buracos Negros, parece ter massa, ser sólido, por causa dos programas que ajudam a gerar nossa percepção dessa forma. Mas no fundo é tudo informação no processador e na memória, criando a percepção de imagens em nossa tela holográfica (3D).

Assim, a simulação da realidade renderiza uma imagem gerada por suas equações programadas, que obedecem as leis físicas, que este universo simulado respeita. Por isso mesmo conseguimos detectar as regras e gerar simulações nós mesmos.

Assim sendo, possivelmente, NÃO EXISTE massa para ir a lugar nenhum… nem dentro do Buraco Negro, nem fora. E toda informação, usada para renderizar nossa realidade, segue armazenada nos dados e programas referentes a geração dela… no Grande Computador (TBC), a consciência fundamental.

E você, o que pensa disso? Para onde você acha que vai a massa que entra em um Buraco Negro?

Se desejar, deixe suas impressões aqui abaixo nos comentários…

Fte abc,

Mario Jorge – 10 de abril de 2019

BATE PAPO COM A ADRI DO CAFÉ QUÂNTICO – REALIDADE VIRTUAL E CONSCIÊNCIA

Veja e ouça o excelente batepapo conduzido pela Adriane do Canal Café Quântico, sobre sua experiência com Tom Campbell e My Big TOE, trocando ideias com Mario Jorge (MyBigToe Brasil).

Ou ouça o audio do batepapo se preferir…

Cobrimos tópicos como:

  • Rápida visão do que trata My Big TOE a obra
  • Os impactos da obra e da oportunidade de estar com Tom Campbell em um evento
  • Como a consciência gera esta oportunidade de evolução
  • A realidade como Virtual e Digital e não com feita de partículas materiais…
  • Os impactos positivos para nossa vida… deste tipo de compreensão…

My big toe conteúdo semanal

Olá a todos!

Estamos comprometidos em seguir compartilhando conteúdo, na sequência do lançamento do nosso e-book que estou certo já aproveitaram para baixar.

Assim sendo, começamos a produzir uma série organizada de vídeos com material da Trilogia My Big TOE de Tom Campbell, seguindo a mesma ordem em que eles são apresentados ali.

No primeiro video da série começamos por esclarecer as definições usadas nos livros, não parece importante, mas é crítico para seu entendimento da mesma. E claro de quebra para os principais, já vamos dando vários spoilers para posicioná-los no contexto da obra.

Abaixo seguem alguns dos termos explicados no vídeo:

AUO – Absolute Unbounded Oneness – Unicidade Absoluta Sem Fronteiras – Consciência Primordial Potencial

AUM – Abolute Unbounded Manifold – Multiplicidade Abosoluta Sem Fronteiras – Consciência Digital Desenvolvida, Fonte de Tudo o que Conhecemos

LCS – Larger Conciousness System – Sistema Mais Amplo de Consciência – Sistema ou Rede Digital gerador de todos os sistemas de suporte à geração da nossa Realidade.

Para seguir toda a série, inscreva-se no canal do Youtube, ou siga por aqui.

Segue a Parte 1 do vídeo sobre o tema:

Segue a Parte 2 do vídeo sobre o tema:

3o Video Conteúdo My Big TOE em Portugues: Consciência e Evolução! P1/2

Hoje é 9/Mar e nosso video de hoje trás a explicação das Hipóteses básicas nas quais o Tom fundamenta seu modelo de TOE: “Consciência e Evolução”.

Veja como isto ocorre no vídeo e ainda cobrimos outros temas como: Navalha de Occam (quanto mais simples melhor); a mentalidade correta para leitura da My Big TOE (Ceticismo e Mente Aberta), o papel das Crenças e Armadilhas de Crença e também o que fazer para se desenvolver e vir a experimentar por você mesmo a consciência fundamental que é nossa “FONTE”.

4o Video Conteúdo My Big TOE em Portugues: Consciência e Evolução! P2/2

Hoje é 12 /mar/19, segue acima a segunda parte do video 2 com contéudo semanal My Big TOE, para você.

5o Video Conteúdo My Big TOE em Português: Consciência aprofundada…

Um aprofundamento sobre o pressuposto básico da Consciência. O que é consciência, como a percebemos, ela contém informação ou é informação, e nossa realidade? Mais um conteúdo postado hoje 20/03/2019.

6o Video Conteúdo My Big TOE Legendado: Meditação (Tom Campbell)

Clique na figura para iniciar o vídeo.

Neste ponto do livro My Big TOE a que chegamos, Tom dá várias indicações sobre como alguém pode se desenvolver, meditando para chegar a experimentar os estados alterados de consciência que podem levar a experiência direta de outras realidades.

7o Video no Conteúdo My Big TOE em Português: Binaurais, Tecnologia de Audio a favor de seu Desenvolvimento

Clique no play para iniciar o video sobre Binaurais.

Tunelamento Quântico – mais uma propriedade Estranha explicada pela Realidade Virtual da My Big TOE!

Tunelamento Quântico – mais uma propriedade “mágica” das “partículas”, descoberta pela Física Quântica agora explicada pela teoria da Realidade Virtual My Big TOE!

Tunelamento Quântico – mais uma propriedade “mágica” das “partículas”, descoberta pela Física Quântica agora explicada pela teoria da Realidade Virtual My Big TOE!

Ok, o que “raios” é Tunelamento Quântico?

Explicado de forma breve pelo Instituto de Física da USP ficaria assim (Clique na Figura acima para ver pagina da USP):

“Tunelamento quântico (ou Efeito Túnel) é um fenômeno da mecânica quântica no qual partículas podem transpor um estado de energia classicamente proibido. Isto é, uma partícula pode escapar de regiões cercadas por barreiras potenciais mesmo se sua energia cinética for menor que a energia potencial da barreira. Existem muitos exemplos e aplicações para os quais o Tunelamento tem extrema importância, podendo ser observado no decaimento radioativo alfa, na fusão nuclear, na memória Flash, no diodo túnel e no amplamente conhecido microscópio de corrente de tunelamento”.

Em outras palavras, as “supostas partículas” fazem algo impossível para o conceito da física clássica ou tradicional: elas “parecem” atravessar paredes (barreiras) sejam elas “materiais” ou de “campos eletromagnéticos”.

Imagem criativa para exemplificar o efeito do Tunelamento.

Uma descrição clássica do funcionamento deste efeito túnel (mas não do seu mecanismo ou porquê) é o exemplo de levar uma pedra por sobre um morro. A massa ali no fundo do vale, não tem energia cinética suficiente para ultrapassar a barreira de energia potencial necessária, representada pela barreira do morro. Deixada por si só, a “massa” jamais chegaria ao outro lado do morro.

Mas no mundo das partículas não é isso que ocorre. De forma equivalente, seria como se pedra encontrasse um túnel que a sugasse para o outro lado do morro. Ou como se ela se teletransportasse para o outro lado.

Segundo a Wikipédia, “Em 1927, Friedrich Hund foi o primeiro a tomar nota da existência do Efeito Túnel em seus trabalhos sobre o potencial de poço duplo”. Isso foi apenas o inicio e até o fim do século vinte muitos outros impactos e aplicações práticas desse efeito foram desenvolvidas, gerando muitos prêmios Nobel para a física.

Mas e isso na prática ocorre?

Você pode estar se perguntando, mas isso realmente ocorre na prática ou é apenas mais uma teoria absurda. Note que dissemos que aplicações práticas reais, mais acima, foram descobertas ou desenvolvidas.

O sol só existe na prática por causa da existência real do efeito de tunelamento.

Fusão Nuclear no Sol (e a possibilidade da vida sobre a Terra)

Talvez a descoberta mais impactante é aquela sobre o funcionamento do próprio sol (e das demais estrelas do Universo).

Nas próprias palavras da “Wikipedia”: “Em função de sua massa, o Sol não tem a temperatura necessária para criar o processo de fusão nuclear de forma espontânea. Contudo, o tunelamento quântico faz com que exista uma pequena probabilidade de o hidrogênio, espontaneamente, criar a fusão nuclear mesmo sem a temperatura necessária. Visto que o Sol possui uma vasta reserva de hidrogênio, essa pequena probabilidade se manifesta em energia suficiente, possibilitando a vida na Terra”.

Atenção ai para a palavra talvez mais importante da descrição dada “probabilidade”. Voltaremos a isso.

Ou seja, nada mais nada menos, se não fosse pela existência comprovada do “tunelamento”, não existiria sol e não existiria vida na terra. Não é pouca coisa.

Há muitos outros impactos práticos baseados no tunelamento, inclusive a criação de um microscópio eletrônico que gera imagens superfícies quase tão pequenas quanto os “átomos”.

Ilustração de uma particula atravessando uma barreira.

Como My Big TOE explica isso?

E como a My Big TOE de Tom Campbell explica a possibilidade e funcionamento desse fenômeno?

Como você poderá ver em mais detalhe em outros artigos do Blog My Big TOE, em nosso ebook gratuito (que também pode ser baixado no link ao lado) e com maior fundamento nos livros e vídeos My Big TOE do Tom Campbell, este modelo é baseado em Consciência, que é um dos seus dois pressupostos.

Esta consciência é digital e se desenvolve para gerar tudo o que existe, na forma de uma “Realidade Virtual”. De forma muito curta aqui, pois o foco principal é a explicação da TOE (Teoria de Tudo) para o tunelamento e não a teoria em si, nossa aparente realidade física, funciona de forma programada como um simulador virtual ou jogo de computador (The Sims ou The World of Warcraft).

Agora pelo menos assuma (ainda que temporariamente) que esta proposição da realidade ser virtual, gerada por uma programação, e aí podemos dar a explicação para o Tunelamento, que vem facilmente quando consideramos esse modelo.

A existência de uma quantidade de partículas, na forma de um gás hidrogênio por exemplo, sob pressão dentro de um botijão, tem sua “realidade” gerada ou renderizada para nossos sentidos de percepção, por um programa. Esse programa considera, como seria de se esperar, uma alta probabilidade da existência de partículas do gás, em qualquer lugar dentro do botijão.

Mas como estamos falando de probabilidades, mesmo nas caudas da distribuição estatística, existe alguma probabilidade ainda que baixa, da existência de partículas daquele gás fora do botijão. E as equações de Schroedinger (sim, o mesmo do gato) mostram claramente o cálculo para essas probabilidades.

Descrito esse cenário, e como a quantidade de partículas do gás sob pressão no botijão se chocando contra suas paredes internas é enorme, acaba passando a existir uma possibilidade significativa de encontrarmos partículas do lado de fora e finalmente as encontramos mesmo ali. As partículas não são pontos com “massa” (matéria) que podem magicamente atravessar paredes “sólidas”.

As partículas existem como uma nuvem de probabilidades, assim sua existência está probabilisticamente prevista também do lado de fora. E quando verificamos com nossos instrumentos, realmente ali as encontramos, fruto das “probabilidades” calculadas pelo programa de “computador¨ rodando.

E você, o que acha disso?

E você, o que acha disso? Como é ver um mistério quântico resolvido?

Terminada a explicação, que é simples (dado algum entendimento prévio da teoria, aqui apenas superficialmente tocado), o que você pensa dela? Acredita que possa ser uma probabilidade de estar certa? Compartilhe suas impressões conosco aqui no blog….

COMO COMPRAR – Passo a Passo (Ajuda)

Nos contate pelo WHATSAPP: 011 9 5892 4139   ou por email: [email protected]

COMO COMPRAR – Passo a Passo:

#1 Clique no botão COMPRAR (mais abaixo).

(Uma página ‘CARRINHO” será aberta)

Confirme a QUANTIDADE

Clique em CALCULAR FRETEdigite somente o CEP.

Clique em ATUALIZAR TOTAL para exibir as OPÇÕES de ENTREGA, escolha uma:

(   ) Correios – Impresso Normal: R$ (frete calculado)

(   ) Retira Local – Estação METRÔ Pça da Árvore – SP – COMBINAR Data/Horário – SEM CUSTO de FRETE

#2 Clique em FINALIZAR COMPRA

(Outra página, “FINALIZAR COMPRA”, será aberta)

Preencha os “Detalhes da Compra

Por favor, muita atenção, principalmente, EMAIL, e NÚMERO de ENDEREÇO.

Selecione a FORMA de PAGAMENTO (exceto BOLETO, indisponível):

( ) Pagamento Transf. Bancária / Depósito em Conta no Itaú.

( ) PayPal, aceita CARTÕES DE CRÉDITO

( ) PagSeguro, aceita CARTÕES de CRÉDITO e DÉBITO ONLINE (para correntistas Bradesco, Itaú, Banco Brasil e Banrisul)

Se  necessário incluir um segundo livro ou alterar a quantidade é só voltar para a tela anterior e clicar em novo pedido (isto adicionará um segundo produto ao carrinho). As quantidades de cada um podem ser alteradas na seta acima e abaixo.

#3 Clique em REALIZAR PAGAMENTO.

Você receberá um email com os dados do Seu Pedido.

OBSERVAÇÕES:

  • Transferência / depósito
  • PayPal utiliza um site próprio para pagamento.
  • PagSeguro abre em um box (janela menor), não é necessário ter conta PagSeguro para pagar com cartão de crédito, por exemplo.

Qualquer coisa entre em Contato através deste link!

Mostrando todos os 2 resultados

Deborah Sachs e o Portal Monroe Brasil

Deborah Sachs e o Portal Monroe Brasil

Déborah & Mario

Deborah Sachs e o Portal Monroe Brasil

Este final de semana (26 e 27 de Agosto de 2017) tive a oportunidade de entrar em contato próximo com Deborah Sachs e o Portal Monroe Brasil, através de um dos cursos básicos ministrados por ela, no Rio de Janeiro.

Uma oportunidade muito rica e tive a oportunidade de aprender muito com ela. Veja abaixo informação que repasso do site dela (http://www.portalmonroebrasil.com/ – ou clique na figura abaixo).

PORTAL MONROE BRASIL
 

Passe um fim-de-semana relaxante, num ambiente acolhedor e informal, onde você pode experimentar: O que aprenderemos num Curso Básico?
   – formas de relaxamento
   – uma respiração mais completa
   – estados elevados de consciência
   – mecanismos de auto-proteção
   – estados expandidos de percepção
   – novos níveis de auto-descoberta
   – fontes contínuas de criatividade
   – descobertas para processos de auto-cura
   – formas dirigidas de concentração
   – superação de medos e emoções deles decorrentes
   – novas habilidades para solucionar problemas pessoais
   – iniciação a processos de meditação conduzidos…

É um programa de imersão prática e vivencial, elaborado pelo Instituto Monroe, visando atender às pessoas que gostariam de ter acesso a tecnologia Hemi-Sync®, sistema desenvolvido pelo Instituto Monroe.

Futuramente, podem ter acesso aos Programas Residenciais (uma semana) realizados na Virginia, USA… ou aqui no Brasil (Rio de Janeiro).

Todos os “Cursos de Expansão da Consciência” (ou “Gateway Outreach Excursion Workshops”) são conduzidos por um orientador, que é um especialista treinado e credenciado pelo Instituto Monroe. Tal credenciamento supõe: cursos de formação em caráter residencial (“TDAP ou FTP” <http://www.monroeinstitute.org/training/> e “ORCA”), supervisão e monitoramento, antes do certificado final. E após isso, reciclagem todos os anos nos USA. Os orientadores credenciados estão no site do The Monroe Institute (www,monroeinstitute.org).

Os “Cursos de Expansão da Consciência” são programas de um ou dois dias (realizados normalmente num final de semana) e criados com o objetivo de apresenta-lo a estados de consciência específicos, assim como ajudá-lo a explorar novas técnicas e materiais a seu critério. (Agenda de Cursos no site: www.portalmonroebrasil.com )

Os cursos de final de semana são apresentados em três níveis: Introdução, Básico e Avançado. Você vai aprender na prática o que é “Hemi-Sync”®, e ter experiências diretas com determinados estados de ampliação de consciência, usando esta tecnologia avançada, e de comprovação cientifica em diversos Institutos de pesquisa, Universidades, etc….

Vai explorar diversos estados de percepção, aos quais damos o nome de “Focus” sendo o primeiro: “Mente acordada/Corpo dormindo”, que é caracterizado por um profundo estado de relaxamento onde as percepções sensoriais são muito diminuídas, enquanto a Mente mantém um total estado de alerta, controle e direção. Isso é profundamente transformador na vida de todos os participantes…

O próximo estado explorado, ou “Focus” é: “Mente acordada/Corpo dormindo/Percepção Expandida”, ou seja, as percepções sensoriais são mínimas, a Mente alerta sob o seu total controle, e uma expansão da consciência podendo mesmo incluir energias não físicas. Aqui há o aprendizado da comunicação não-verbal, o que inclui a atenção para com símbolos, sensações térmicas, flashes, mudanças de estados de humor, sons inesperados, intuições, etc…

Ou seja, outras formas de percepção que antes não prestavamos atenção … e que agora farão parte normal de nossas vidas…
Eventualmente, num estado expandido de consciência, pode acontecer o encontro com Energias Superiores, ou mesmo uma “viagem astral” (OBE), se isso fizer parte dos objetivos do participante do curso. É apenas uma possibilidade! Visitas a outras Dimensões… é apenas uma possibilidade. (Bibliografia: Livros de Robert A. Monroe).

Durante o curso é feita a transição da aprendizagem dessas novas técnicas que vão do relaxamento profundo para o estado totalmente alerta, a fim de que possamos vivenciar os novos conhecimentos na solução de problemas diários. Relatos de alunos mostram facilidades em vida pessoal e profissional após o curso…

Os cursos são práticos, intensivos e altamente transformadores.

CURSO BÁSICO DE EXPANSÃO DA CONSCIÊNCIA
(GATEWAY OUTREACH EXCURSION WORKSHOP)

 

É um curso prático de imersão auditiva, que tem por objetivo o rápido aprendizado de técnicas para melhorar a sua vida no dia a dia. Normalmente realizado em fins de semana, numa carga horária intensa, acessa estados expandidos de consciência, em etapas cuidadosamente orientadas.

O que iremos aprender?
*Primeiro aprenderemos técnicas de relaxamento. Isto é básico, porque em nosso dia a dia, agimos de forma tensa, desenvolvemos stress constantemente, sem nos apercebermos disso. Relaxar e as diversas formas possíveis de relaxar, pode parecer simples… mas não fazemos! Assim que aprendermos isso vamos passar às outras técnicas com muita facilidade: tirar de nossa mente o que nos atrapalha no momento (com técnicas super simples), aprender a entoar sons que nos ajudam a expandir a percepção, entrar num estado de mente alerta/corpo dormindo, código para acessar rapidamente a memória (e nos lembrarmos com clareza do que precisamos nas horas mais difíceis de nossas vidas), código para ficar totalmente alerta quando necessário (espantar a sonolência com uma técnica super fácil de ser executada), criação de um campo energético dentro de nosso corpo e à nossa volta, liberar medos e as emoções aliadas aos mesmos, estabelecer propósitos de vida, perceber além dos cinco sentidos físicos, acesso intuitivo ao conceito de “ser mais do que apenas matéria física”, comunicação não verbal (de forma consciente), flashes intuitivos (e utilização dos mesmos em nossa rotina diária), mudanças de estados energéticos (como sinal ou resposta às nossas indagações intimas), mudanças em nossos padrões de vida (só você pode mudar você), resolução de problemas em outros níveis de percepção (Einstein já dizia que “só conseguimos resolver um problema acessando um outro estado de consciencia, diferente daquele onde o problema foi criado”), técnica de uma respirada para encontrar soluções em estado totalmente alerta, trabalho dirigido de auto-cura (sensacional) , aprender a respirar certo, etc… *
(duração de 20 horas, num final de semana)

Há também uma série de Cursos Avançados, que exigem o Básico como pre-requisito:

. Trilogia Monroe (“Desenvolvimento Interior”, “Auto Cura” e Crescimento Pessoal”)
. Técnicas Projetivas (em cinco níveis)
(Avançados tem duração 24 horas, num final de semana)

Além dos cursos de final de semana, temos os Programas Residenciais com a duração de uma semana… sempre realizados no Rio de Janeiro. (começam num domingo e terminam no sábado seguinte)

Residenciais (duração de uma semana, com hospedagem incluída)
   . Gateway Voyage (pre-requisito é o Curso Básico) – Maio 2018
   . Guidelines (pre-requisito Gateway Voyage)
   . Lifeline (pre-requisito Gateway Voyage)
   . Timeline (pre-requisito Gateway Voyage)
   . Exploration 27 (pre-requisito Lifeline)

Os Cursos Avançados e os Programas Residenciais são explicados durante o Curso Básico de Expansão da Consciência, visto necessitarem do Básico como pré-requisito.

Robert Monroe, fundador do TMI

 

Deborah Sachs e o Portal Monroe Brasil

Compaixão e Equilibrio na Realidade Virtual

Compaixão e Equilibrio na Realidade Virtual

“Compaixão é uma coisa boa — de fato muito boa — uma parte essencial de nossa conexão aos demais, a medida que superamos nosso ego. Compaixão e equilíbrio são ambos atributos são ambos atributos de um amor atencioso / cuidadoso.

Contudo, uma pessoa precisa aceitar que a realidade VIRTUAL PMR (realidade física material), este “pacote” gerador de oportunidade que chamamos de “lar”, DA MANEIRA COMO ELE SE DESENVOLVEU — porque ele nos reflete. Nos reflete muito precisamente.

Ficar irado com depravação, a miséria e especialmente a dor inocente, ou torcer constantemente as mãos em exasperação ou chorar por causa disto, não é produtivo e ainda são formas de apego. A PMR  (realidade física material) é como é, porque nós somos como somos — a pessoa precisa ir em frente com seu aprendizado e crescimento pessoal dentro desta experiencia de realidade virtual e evitar acabar perdido em um apego a tristeza, o sofrimento dos outros — ainda que isto seja difícil (especialmente para uma pessoa sensível e atenciosa). Equilíbrio é tão importante quanto compaixão.

Os participantes desta realidade virtual são todos voluntários. Muitos escolhe pacotes de experiencia com os quais podem aprender o que mais precisam. Existem muitas formas de experiencia virtual, cada uma tendo seu próprio conjunto de oportunidades e desafios. Estas oportunidades podem nem sempre estar clara para nós, a partir da perspectiva da PMR. Dentro da visão mais ampla, cada tipo de experiencia virtual PMR tem algumas vantagens de aprendizado, ou ninguém com liberdade aceitaria tal papel. Todos os papéis são aceitos livremente.

Estar confortável e feliz na PMR não é o “jogo principal” , redução da entropia pessoal é o jogo principal — A PMR é apenas uma ferramenta, ferramenta virtual usada por cada entidade aqui, para atingir o crescimento necessário pela experiência direta.

A dor em seu coração devido ao sofrimento dos outros é real, valorize-a, aceite-a, e siga em frente. Grande compaixão e tristeza crescendo a partir do coração, é um atributo muito valioso de alguém que realmente se importa, de quem realmente ama — contudo, também podem se tornar uma expressão de necessidade, desejo, culpa e medo — isto é, um apego, uma armadilha. Equilíbrio é também um atributo do amor — não confunda o equilíbrio com falta de compaixão.

Eu realmente espero que você veja isto mais como ajuda do que sal na ferida. Sofrer — ser um com o mundo — é um caminho difícil a trilhar porque ele te “espalha de forma tão fina” que equilíbrio e crescimento se tornam excepcionalmente desafiadores. Seu ponto de equilíbrio pessoal é único seu. Encontre-o, onde quer que ele esteja e faça paz com sua existência”.

Tom Campbell
Dec 20 2007

Compaixão e Equilibrio na Realidade Virtual